Como manter os órgãos respiratórios fortalecidos

Especialistas esportivos, entres eles, o médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino, Nemi Sabeh Júnior, passam algumas dicas sobre respiração. Afinal, sempre quando há motivos para ansiedade, estresse, medo e pânico, a respiração fica descontrolada. Muitas pesquisas mostram os benefícios de se respirar conscientemente, que ameniza síndromes, como a do pânico, reduz os níveis de cortisol e adrenalina, fortalece o sistema imunológico e ainda pode aliviar as dores crônicas, como a fibromialgia.

Nemi Sabeh Jr., expert em medicina esportiva, ortopedia e médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino há 10 anos. Atua no núcleo de especialidades do Hospital Sírio Libanês (SP) e é idealizador da ON, centro de evolução corporal com unidades no bairro do Morumbi (SP) e na cidade de Assis (SP)
Todas as células precisam de oxigênio para o bom funcionamento do organismo. É possível medir os parâmetros respiratórios por meio de um exame chamado Índice de Evolução Corporal (IEC). Ele apresenta a quantidade de oxigênio absorvida pelos alvéolos pulmonares da pessoa em dois momentos: quando o corpo está em repouso e após alguns minutos de atividade física. Além de detectar possíveis doenças, especifica o consumo de oxigênio, produção de gás carbônico, frequência respiratória e ventilação pulmonar. No resultado é possível saber se a respiração está equilibrada ou não, se compromete ou ajuda o desempenho e a performance de uma pessoa ou de um atleta.

Três exercícios respiratórios simples, fáceis de fazer e sem a necessidade de acessórios extras.

O primeiro exercício consiste em respirações longas, lentas e profundas, de uma maneira bem calma e tranquila. Sentada, inspire e expire tranquilamente por cinco vezes consecutivas.
O segundo exercício também conta com respirações profundas, porém, na expiração deve deixar os dentes serrados e fazer um pouco de pressão para estimular a força da musculatura respiratória. Recomendado praticar cinco vezes consecutivas.
O terceiro e último exercício é associado com o movimento dos braços para mobilizar o gradil costal – conjunto de ossos da região do tórax. Toda vez que for inspirar, os braços devem fazer uma elevação lateral (semelhante ao movimento dos braços no exercício polichinelo), lentamente, e descer de forma tranquila. O movimento deve ser repetido cinco vezes consecutivas.

Thais Akemi Sigaki, instrutora de Yoga da ON, centro de evolução corporal no bairro do Morumbi (SP) e na cidade de Assis (SP)

A respiração completa é realizada em três etapas. E, até se acostumar, você pode usar as palmas das mãos para sentir o ar, principalmente quando ele chega na região da barriga.
Comece inspirando e expandindo o abdômen, perceba que o umbigo se afasta da coluna. Exale lentamente pelas narinas. Não é o ideal exalar pela boca, só faça se você sentir muita dificuldade. Repita algumas vezes até se familiarizar com o movimento. Em seguida, procure inspirar expandindo o abdômen e as costelas para as laterais. Exale pelas narinas e aproxime as costelas, empurrando o umbigo em direção a coluna. Repita mais algumas vezes. A terceira e última etapa consiste na inspiração iniciando pelo abdômen, expandindo as costelas (tórax), finalizando na expansão da subclavicular, ou seja, levando as clavículas em direção ao queixo. Exale de cima para baixo, isto é, primeiro a parte alta, da clavícula para baixo, segundo parte mediana, aproximando as costelas, e, por fim, segurando o umbigo para dentro.
Essa respiração traz serenidade para a mente, estimula e tonifica o aparelho respiratório, melhora o funcionamento do intestino e a absorção de oxigênio.

COMPARTILHE:

Menu
× Como posso te ajudar?